Quero uma doula

Humanização do Parto

Vamos voar?

Por Gisele Leal

Você já viajou de avião? Qual foi a sensação? O que te fez escolher ir de avião, e não de carro, navio ou trem?
Eu particularmente ODEIO viajar de avião. Mas mesmo assim já fui várias vezes, e se precisar novamente eu vou. Não gosto pela sensação de impotência que fico quando começam aquelas malditas turbulências. Se eu pudesse eu colocava meu paraquedas e pulava do avião, assim que começam os sinais e avisos de apertar cinto. E a decolagem então? Não tem coisa pior. Ahhh tem sim! O pouso! Sabemos que está acabando, mas é dificil relaxar. O corpo se contrai, prendemos a respiração. E quando o avião finalmente pousa as rodas no chão, aquele chacoalhão nos faz soltar todos os músculos tensionados e respirar aliviados.
E assim como eu, muitas pessoas também morrem de medo de voar mas estão lá! Voam todos os dias. E tem aqueles que juram que não tem medo de voar!
E porque eu comecei a falar sobre voar, num blog sobre gestação, parto e maternidade?
Porque ontem, foi ao ar no Fantástico uma matéria muito bacana sobre Parto Domiciliar Humanizado. Eu e muitas outras ativista e mães, ficamos surpresas pela qualidade da matéria, porque sempre que sai alguma coisa sobre Parto Domiciliar, sai carregado de preconceitos, tabus, e informações erradas. Para ver a reportagem, clique no link abaixo:
Matéria do Fantástico sobre Parto Domiciliar
E por mais que algumas informações na matéria sejam discutíveis, eu gostei. Achei uma matéria imparcial, limpa, não distorceram o que os entrevistados falaram e convidaram pessoas do meio da humanização para falar ? Jorge Khun (obstetra), Ana Cris Duarte (obstetriz) e Lara (doula). E tudo isso foi motivado pelo vídeo de parto domiciliar da Sabrina (de Campinas) que já teve mais de dois milhões e meio de acessos em 2 meses.
E o que aconteceu depois? Muita gente se questionou quanto à segurança do Parto Domiciliar.
Então, por isso comecei falando do avião. Porque Parto domiciliar é tão seguro quanto voar!
Aqui tem um post bacana sobre o quanto um Parto Domiciliar é seguro, inclusive com evidencias científcias.
Parto Domiciliar, é tão seguro que é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que preconiza que a mulher deve parir onde se sentir mais segura. E algumas mulheres tem pavor de hospital, e se sentem mais seguras em seu proprio LAR.
Parto Domiciliar é apoiado pelo Conselho de Enfermagem, pois as Enfermeiras Obstetras e Obstetrizes, são capacitadas para atender partos de gestantes de baixo risco, e sabem avaliar a necessidade de uma transferência para o hospital em qualquer fase do parto e pós-parto.
E porque então o Conselho de Medicina não apoia o parto domiciliar?
Porque parto é um evento fisiológico. Partejar é uma arte. E nossos médicos são formados para serem cirurgiões. São formados para pensar no 1% que pode dar errado. E por causa disso, acabam tratando todas as outras 99% das parturientes como uma bomba-relógio que vai virar uma emergência.
Países como Nova Zelândia, Holanda e Inglaterra, que apresentam excelentes resultados perinatais, com baixa morbidade materno-fetal, possuem um modelo de assistência obstétrica centrado na enfermeira obstetra (ou midwife como eles chamam por lá) e não no médico. O médico entra em cena quando uma intercorrência é identificada pela midwife ou quando a gestante não é considerada de baixo risco.
Riscos existem até ao atravessarmos a rua. Estar vivo é um risco. O importante é conhecer esses riscos, e escolher qual risco você vai correr. No hospital, além dos riscos de contaminação hospitalar, um parto que poderia ser normal, em geral recebe tantas, mas tantas intervenções que acaba virando um parto cheio de complicações ou uma cirurgia para extração do feto ? a cesárea. Por esses motivos, o parto domiciliar, para gestantes de baixo risco, assistido por profissionais capacitados, acaba sendo tão (ou mais) seguro que um parto hospitalar. É como viajar. De carro, de ônibus, de avião! E você escolhe qual o meio de viagem que mais te deixa seguro não é? E isso é respeitado!
Então faça seu desejo de parir ser respeitado também! O parto é seu! Você tem que se sentir segura, e tem o direito de ser atendida da forma mais respeitosa e humana possível. Independente do local!
E então? Vamos voar?